Depois de uma longa espera de oito meses em contraste com a versão dos consoles, os usuários de PC finalmente conseguiram colocar as garras em um Monster Hunter no último 9 de agosto. As razões para justificar um atraso tão longo foram as mesmas de sempre. A Capcom precisou de mais tempo para aperfeiçoar o jogo e garantir um port de qualidade. Mas mesmo após esses oito meses, ainda existem alguns asteriscos para marcar em relação ao Monster Hunter World, tanto jogáveis ​​quanto técnicos. Propomos analisar esses elementos nas seguintes linhas.

Para quem não conhece a saga, Monster Hunter foi lançado no mercado pela primeira vez em 2004 para PlayStation 2. O objetivo principal do jogo era caçar monstros e obter suas partes para melhorar o nosso equipamento e enfrentar outros monstros mais fortes, completar este ciclo é e segue sendo o motor que ruge sob as engrenagens da saga. Mas onde Monster Hunter foi mais reconhecido foi no Japão e nos consoles portáteis, já que a enorme população deste país asiático tornou possível jogar o jogo de forma cooperativa em qualquer lugar e com qualquer pessoa. Mas no Ocidente não conseguiu a mesma recepção, já que os ocidentais preferem consoles de mesa às suas contrapartes portáteis, por esta razão, a série levou tanto tempo para voltar aos consoles e PC pela primeira vez.

Em Monster Hunter World assumimos o papel de um caçador que faz parte da quinta frota pertencente a uma comissão de investigação, responsável por estudar os antigos dragões e seus habitats. Nosso objetivo ao longo do jogo é descobrir por que esses antigos dragões a cada dez anos viajam do mundo antigo para o novo. A história pode ser algo simples e chata, já que na verdade é mais do que qualquer coisa para nos ensinar como caçar os monstros e como melhorar nosso equipamento.

Como mencionado anteriormente, a história é mais como um complemento ao jogo, já que o núcleo do gameplay é a exploração, captura ou caça de monstros e obter o seu saque para melhorar nosso equipamento. Para realizar essas tarefas, teremos à nossa disposição um arsenal de armas diferentes que podemos usar. Cada uma destas armas tem suas virtudes e desvantagens, por exemplo, grandes espadas pode fazer um dano terrível, desde que podemos dar um golpe contra o nosso inimigo, já que essas espadas sendo tão lentas que nos deixam em uma posição desprotegida se erramos nosso ataque. Por outro lado, temos espadas duplas, estas são mais rápidas, mas causam pouco dano e nos permitem evitar ataques inimigos mais fáceis. Felizmente para nós, desde o início do jogo, teremos todo o arsenal à nossa disposição e pode ser usado em uma sala de treinamento para familiarizar-nos com cada arma e qual delas se acomoda a nossa forma de jogar.

Agora bem, as armas são metade do nosso time, a outra metade é a armadura, enquanto vamos explorando o mundo e adquirindo novos materiais, podemos ir no ferreiro para criar uma armadura. A maioria dos conjuntos de armaduras pertence aos diferentes tipos de monstros e cada um desses conjuntos apresenta as vantagens e desvantagens de cada criatura. Uma vez que estamos chegando ao final do jogo seremos capazes de adicionar jóias na armadura que nos dão diferentes melhorias que serão refletidas em nossos atributos como maior ataque, defesa ou estados de proteção alterada, entre outras opções.

Antes de começar a nossa viagem através do novo mundo, temos que ir Astera, a «cidade» que serve como um hub central, e colocamos cidade entre aspas porque cidade é grande demais para o que ela realmente é, mas que é onde falamos com nossos colegas caçadores, obtemos missões, usamos o mercado para comprar poções e outros itens básicos para nossa aventura. Neste eixo central, também encontraremos a forja para poder comprar e criar nossos equipamentos, e a cozinha, onde podemos obter diferentes efeitos positivos de acordo com o tipo de alimento que enchemos nosso personagem.

Para poder caçar ou capturar os monstros, teremos que acessar uma missão para caçar um monstro específico ou fazer uma exploração em um dos diferentes biomas que podemos acessar quando os desbloquearmos. Cada um desses biomas é totalmente diferente um do outro, teremos uma floresta exuberante onde podemos nos mover através das árvores e lianas, ou um canyon com um deserto, onde as areias são o menor dos nossos problemas, estes são apenas alguns dos mapas onde podemos ir. Mas não existe uma só diferença entre cada cenário, mas os monstros, plantas, minerais e tudo o que podemos usar para melhorar nosso personagem varia por região. Por esse motivo, teremos que percorrer cada centímetro de cada mapa para descobrir seus segredos e como usá-los para nosso benefício.

Todos os itens acima são facetas mecânicas ou diferentes que compõem o jogo, mas o que torna o jogo divertido é a própria atividade de caça. Monster Hunter nos impele a mergulhar no papel de caçadores e perseguir nossas presas por diferentes meios. Por exemplo, podemos descobrir onde nossa presa está por meio de suas pegadas ou marcas específicas que deixam em folhagem. Uma vez que atingimos nosso alvo, teremos a liberdade de formular um plano para enfrentar nosso inimigo da melhor maneira, seja por ter uma arma que seja forte para lutar ou usando o que nos rodeia para fazer a luta mais fácil. E uma vez que saímos vitoriosos de nossa luta, poderemos reivindicar o saque há muito esperado para melhorar nosso equipamento, para então poder enfrentar as presas mais poderosas e perigosas do jogo. O sentimento que deixa é muito semelhante ao completar uma Rift em Diablo ou um mapa em Path of Exile, porque o objetivo deles é para melhorar nosso equipamento para enfrentar condições adversas, sabendo que qualquer erro nosso pode levar-nos diretamente a derrota.

Podemos fazer as missões a solo, e também podemos fazer cooperativamente com amigos ou com qualquer pessoa, mas como o jogo sempre foi pensado em consoles, para participar de um jogo ou criar um pode ser um pouco complicado para nós usuários de PC, porque temos que escolher uma missão, o número de pessoas que podem entrar, quatro sendo o máximo possível e, a partir de então, devemos esperar por alguém para participar da nossa sessão. Além do problema mencionado acima, existe um outro problema que é muito mais chato, mas ele pode ser resolvido, quero dizer desconexões, neste momento o jogo tem um problema com desconexões, estes são tão aleatórias que podem acontecer no meio de uma missão ou mesmo no hub central jogando sozinho, sabemos que a Capcom está ciente desse problema e está trabalhando nisso.

Quando a Capcom anunciou que os gráficos da versão PC seriam em pé de igualdade com os consoles, pensava que nos consoles parecia bastante bem e no pc poderia ser melhor e tivemos a vantagem de ser capaz de executar o jogo a 60 fps constantes. Bem, não poderia ter sido mais errado, porque as texturas são realmente ruins, a ponto de se observarmos nossa armadura, vamos ver algumas texturas de qualidade tão baixas que se assemelham a um jogo feito com o id Tech 5 (RAGE, Wolfenstein).

Mas nossos problemas não param por aí, ter uma qualidade gráfica semelhante aos consoles o jogo deve funcionar sem problemas em qualquer PC médio, mas este não é o caso, porque, a fim de executar o jogo a 60 fps constantes em 1080 Minimamente, tem que ter i5 8400 com uma 1070, até testamos com um PC mais potente e houve partes específicas que os fps caiam para 20 frames. Isso é realmente lamentável, porque o jogo usa o Framework MT como motor e isso, que era conhecido por ter uma excelente gestão em multicore e gestão de recursos do sistema, é uma pena que o desempenho deste motor não é refletido em Monster Hunter.

Depois de ter passado mais de 50 horas explorando, caçando e descobrindo os segredos por trás do mundo de Monster Hunter, posso ver o apelo que tinha o jogo em suas iterações anteriores e porque Monster Hunter World é o melhor jogo da série até à data. É verdade que esta versão foi lançada sem o conteúdo adicional que tem a versões de consoles, mas com a quantidade de conteúdo que o jogo já possui, é um pequeno preço que temos que pagar. O único que espero é que, sendo um jogo desta enorme magnitude, Capcom não durma sobre os louros e corrija os problemas que neste momento afligem a master race, e quando isso for feito, teremos a melhor versão que realmente merecem os usuários de PC.

Esta revisão foi feita com cópias de imprensa fornecidas pela Capcom USA.

[PT] Monster Hunter: World - Review
História70%
Gameplay100%
Gráficos75%
Música e Sons80%
Multijogador90%
Lo bueno:
  • A variedade de equipamentos e inimigos.
  • A emoção da caça.
  • Os diferentes biomas.
Lo malo:
  • Vários problemas técnicos.
  • Falta de uma história melhor.
90%Nota Final
Puntuación de los lectores: (0 Votes)
0%

Dejar una respuesta