Sudden Strike é uma dessas séries de jogos de estratégia que achamos que nunca mais veríamos. Após a má recepção de Sudden Strike 3 e o fechamento da desenvolvedora Fireglow, a franquia de jogos de estratégia militar aclimatada na segunda guerra mundial parecia ter sido relegada à gaveta das memórias do RTS. Mas agora, da mão de KITE Games e Kalypso Media, a Sudden Strike renasceu das cinzas e, finalmente, temos a quarta parcela da saga entre nós.

Sudden Strike 4 é uma ressurreição e um retorno às origens. O jogo procura retornar às bases instaladas por Sudden Strike e sua seqüência, deixando de lado as inovações truncadas de Sudden Strike 3. Nesse sentido, o Sudden Strike 4 se sente como um jogo de estratégia bastante tradicional, embora com alguns truques interessantes abaixo a manga. Este é um jogo de táticas militares sem construção de base, onde o coração de cada batalha é baseado no uso efetivo de infantaria, tanques e artilharia, com apenas uma pitada de suporte aéreo adicionado à mistura para adoçar as coisas.

Como em parcelas anteriores, o Sudden Strike 4 apresenta três lados claramente diferenciados: os Aliados, os Soviéticos e o exército Alemão (com uma fraca cruz de fantasia atuando como Svastika). Cada uma dessas facções tem sua própria campanha e com unidades diferentes, embora na sua maioria análoga. As campanhas são bastante interessantes e seguem os passeios históricos das três facções em guerra. Os alemães começam com sua campanha de sucesso na Frente ocidental, depois se mudam para duras batalhas nos territórios russos e acabam na desesperada contra-ofensiva de Las Ardenas. Os soviéticos, entretanto, devem suportar o choque alemão em duras lutas urbanas e depois seguir para o ataque em Kursk e avançar para o coração do Reich. Finalmente, os Aliados começam com a Operação Overlord para se lançarem à libertação da França e à queda de Berlim. As campanhas apresentam principalmente missões com script com objetivos claros, mas são bastante divertidas e um ótimo lugar para começar a experimentar o jogo.

Para adicionar algum sabor às suas campanhas, Sudden Strike 4 introduz um sistema de progressão que nos permitirá desbloquear habilidades especiais para nossas tropas e veículos. O sistema de progressão funciona obtendo estrelas nas diferentes missões, o que nos permitirá comprar doutrinas para cada um dos três generais disponíveis em cada facção. Tais doutrinas agregam capacidades especiais aos nossos exércitos, como coberturas de sacos para os veículos blindados ou minas antitanque para a infantaria. As estrelas mencionadas são obtidas realizando diferentes “façanhas” em combate, como desarmar um inimigo blindado ou capturar uma peça de artilharia.

É neste sistema de estrelas e doutrinas que aparece um dos maiores problemas da Sudden Strike 4: o jogo não fornece informações suficientes. Não há nenhuma maneira no jogo de saber que a ação específica nos dá estrelas e, mesmo quando as memorizamos, não há um indicador claro de quanto valor representa cada ação, pelo qual a obtenção de estrelas (na verdade, de pontos de habilidade) é caótico e inescrutável. Além disso, essa falta de informação se traduz em outros elementos-chave do jogo.

Por exemplo, em Sudden Strike 4, nossas tropas de infantaria podem capturar veículos militares e civis, apostar em edifícios e ocupar trincheiras. Em nenhum momento o jogo nos informa qual é a capacidade de um determinado veículo ou quantas pessoas podem apostar na mesma trincheira. Portanto, não temos como definir exatamente quantos soldados podem ocupar uma determinada posição. Esse problema, em uma situação em que estamos sob fogo inimigo, pode tornar-se preocupante. Em muitas ocasiões aconteceu que de não ter lugar para soldados em um veículo e ter que deixar alguns dos homens a uma morte certa. Se pelo menos indica-se claramente quantas pessoas entram em um edifício ou veículo específico, seria mais fácil planejar o número de soldados e atribuir diferentes grupos de ataque.

Em outras áreas, o Sudden Strike 4 sofre problemas semelhantes com os seus sistemas, que combinam uma profundidade invejável com erros de design quase amadores. Por exemplo, os veículos blindados são muito eficazes para resistir ao fogo leve inimigo. O efeito dos tiros que saltam da frente dos tanques é muito bom sem causar danos enquanto aniquilamos as tropas rivais. Agora, se nossa infantaria estiver estacionada atrás dos tanques, e os soldados recebem o fogo do inimigo, essas balas passam pelos veículos para vencer os homens a pé, ignorando completamente a armadura na frente deles. Além disso, o Sudden Strike 4 é completamente desprovido de um sistema de cobertura para as tropas, que só podem ser cobertas se estiverem dentro de um edifício.

Em contraste com a pobreza desses sistemas, Sudden Strike 4 apresenta outras idéias que são muito eficazes. A gestão dos tanques e suas tripulações, por exemplo, é excelente. Não só podemos deixar o veículo em todos os momentos, mas cada homem acima do tanque tem valor em si mesmo. As equipes podem fazer reparos, e o comandante pode abrir a escotilha para aumentar a armadura visual (em troca de tornar-se mais vulnerável). Além disso, os tanques podem receber danos às suas lagartas, sendo inertes no campo de batalha, pelo que o uso efetivo de esquadrões antitanque pode resultar em emboscadas. Especialmente em áreas urbanas ou em que podemos esconder nossa infantaria.

Além da campanha, o Sudden Strike 4 apresenta um modo de jogador para até 8 jogadores (dividido em duas equipes). É um modo adequado e faz uso de todos os elementos do jogo, embora apenas quatro mapas estejam disponíveis, que não são muito diferentes um do outro. Não estamos frente a um novo e inovador modo multiplayer como o que se viu recentemente em Steel Division: Normandy ’44, mas há um certo charme na apresentação “Old School” e batalhas rápidas de Strike Sudden 4.

Quanto à seção audiovisual, o Sudden Strike 4 possui uma seção gráfica adequada, embora não seja muito espetacular. Por outro lado, a posição da câmera também se sente “presa ao chão” e às vezes custa um pouco seguir a ação, especialmente quando esta se desenvolve em diferentes frentes de batalha. Os efeitos dos disparos, explosões e destruição são bem feitos e aumentam a autenticidade do caos do combate. Quanto a musica de Sudden Strike 4, você recebemos apenas um passe, com ritmos marciais típicos desse tipo de jogo e efeitos sonoros que não apresentam nada novo ou especial.

Em suma, o Sudden Strike 4 não é o retorno glorioso da antiga franquia, mas pelo menos é um passo na direção certa em relação ao Sudden Strike 3. O jogo se apresenta adequado e bastante engenhoso, mas que é manchado devido a uma má apresentação em algumas áreas, entre as quais se destaca a falta geral de informações fornecidas pelo título sobre a operação de diferentes elementos. Sudden Strike 4 é um “RTS” muito old school que talvez custe encontrar fãs nestes dias.

Esta revisão foi feita com uma cópia de imprensa fornecida pela Kite Games/Kalypso Media Digital.

[PT] Sudden Strike 4 - Review
Gameplay60%
Gráficos75%
Música y Sonidos70%
Multiplayer65%
O Bom:
  • Recupera elementos clássicos do primeiro Sudden Strike.
  • Boas idéias sobre a gestão dos blindados e suas tripulações.
  • O sistema de doutrina adiciona algo de valor à campanha.
O ruim:
  • Falta de informação geral sobre diferentes elementos do jogo.
  • A ausência de um sistema de cobertura.
  • Apenas quatro mapas para multiplayer.
70%Nota Final
Puntuación de los lectores: (1 Voto)
-26%

Dejar una respuesta